A série Urbis, de ”A Poética da Máquina”


Capítulo V – 1964 / 1969. FREDERICO MORAIS


Os trabalhos realizados por Maurício Salgueiro, entre 1964 e 1969, que integram a série “Urbis”, constituem o momento de inflexão de sua obra, promovendo sua inserção definitiva no grupo de artistas-inventores que contribuíram para a renovação da arte brasileira em sua vertente tecnológica. Apesar de abrigados em um único título e de, juntos, oferecerem uma visão coerente das questões abordadas – relativas à posição do artista face ao meio urbano contemporâneo – eles diferem tanto na escolha dos materiais e suportes – ferro, madeira e lâmpada fluorescente – quanto na linguagem adotada, formando, assim, três conjuntos perfeitamente identificáveis. O que existe de comum, nos três conjuntos, é a introdução do som e da luz como matéria prima da expressão plástica.