ORDINÁRIO MARCHE


SANIN CHERQUES – 1994


Ordenações, leis, regulamentos, processos, sentenças são alguns dos Instrumentos disciplinadores empregados pela sociedade para controlar e submeter seus indivíduos.

Não submeter-se significam sanções impostas àqueles que não condicionaram vontade, emoção, opinião à clausura das regras.

“ORDINÁRIO MARCHE” forma simples e plástica, na sua transparente geometria, parece esconder/revelar os mecanismos que acionam, condenam, aprisionam o homem convertido em engrenagem do sistema, cuja alma geme, mas marcha, ao império da ordem.

Com este trabalho, metáfora do nosso existir e ser, o artista, um nômade periférico do sistema, lança seu olhar mordaz sobre este universo que se robotiza: “Ordinário Marche! Um, dois, esquerda, direita. Tropa, alto.”